Cuba: Citando sociólogo argentino, Fidel propõe 'bíblia' da crise

Agência ANSA

HAVANA - O ex-presidente cubano, Fidel Castro, divulgou no último domingo um novo artigo, no qual apresenta um resumo de um trabalho do sociólogo argentino Atilio Borón sobre a crise econômica.

Fidel explica que seu artigo, baseado nas ideias do argentino, pode ser lido "como uma pequena Bíblia", através da qual se pode ficar "mais bem informado" do que a maioria das pessoas.

Diretor do Programa Latino-americano de Educação à Distância em Ciências Sociais (PLED), Borón participou de um evento sobre Globalização e Desenvolvimento em Havana na semana passada e foi convidado pelo ex-presidente para um encontro durante sua estadia na ilha.

Para o argentino, o panorama atual demonstra a "crise geral do capitalismo, a primeira de uma magnitude comparável à de 1929". Segundo ele, trata-se de "uma crise integral, civilizacional, multidimensional, cuja duração, profundidade e alcances geográficos certamente serão de maior envergadura do que as [crises] que a precederam".

- Se alguém leva esta síntese no bolso, a lê de vez em quando ou a decora, como uma pequena Bíblia, estará mais bem informado sobre o que acontece no mundo - garantiu o líder revolucionário se referindo ao encontro com Borón.

Fidel ressaltou também que a maioria das pessoas vive "assediada por centenas de anúncios publicitários e saturada com milhares de horas de notícias, novelas e filmes de ficção".

Borón ainda destaca, nas passagens citadas por Fidel, o papel da China no processo de recuperação, indicando que a potência asiática pode ser fundamental "para a estratégia de recomposição dos países periféricos".

Afastado do poder desde 2006, devido a problemas de saúde, o ex-presidente Fidel Castro publica com regularidade na imprensa cubana seus artigos, intitulados "Reflexões do companheiro Fidel".