Em expansão, TIM vai manter sede brasileira no Rio

Marcello D'Angelo , Jornal do Brasil

SÃO PAULO -

O chairman global da Telecom Italia, Gabriele Galateri di Genola, garantiu ontem ao governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, que a operadora de telefonia TIM manterá sua sede brasileira no estado. A informação foi transmitida em um encontro entre o peemedebista e uma comitiva de altos executivos do grupo italiano, e afastou a hipótese de que a empresa cederia à pressão de outros estados, que teriam oferecido incentivos fiscais para atrair a matriz da operação brasileira. Em 2008, a TIM Participações controladora da TIM Celular e da TIM Nordeste registrou receita bruta de R$ 18,25 bilhões.

Além de Galateri, estavam presentes o vice-presidente da Telecom Italia para a América Latina, Carmelo Furci; o recém-empossado presidente da TIM Brasil, Luca Luciani; e seu antecessor, Mário César Pereira de Araújo, que assume o posto de presidente do Conselho de Administração da operadora móvel no país. Até então, este último cargo era acumulado pelo chairman da Telecom Italia.

Segundo informações levantadas pela reportagem, a comitiva da telefônica italiana também adiantou ao governador Sérgio Cabral que iniciará aplicações em telemedicina e tele-educação dentro do conjunto de serviços que oferece hoje no país. Essas novas ferramentas estão ligadas ao exercício da medicina e da educação à distância, por meio de tecnologias de telecomunicações.

O objetivo da TIM é reforçar sua tradição como empresa inovadora no setor de telefonia celular para recuperar o segundo lugar no segmento, perdido no segundo semestre do ano passado para a Claro, em meio ao acirramento da concorrência nesse mercado. O ranking é liderado pela Vivo.

A TIM foi pioneira no uso da tecnologia GSM no Brasil, iniciando a prestação de serviços na tecnologia em outubro de 2002. A operadora também foi a primeira a atuar em todos os estados do país e a oferecer serviços de mensagens multimídia (envio de imagens e vídeos entre celulares).

Agora, é na cultura inovadora que o novo presidente da TIM no Brasil, o italiano Luca Luciani, tentará buscar os caminhos para crescer mais que os concorrentes. Como o Brasil é prioridade nas estratégias da Telecom Italia, a meta da TIM é chegar à liderança do mercado.