Tesouro detalha plano de ajuda a proprietários de imóveis

SÃO PAULO, 4 de março de 2009 - O departamento do Tesouro norte-americano divulgou hoje detalhes sobre as condições de ajuda que oferecerá aos proprietários de imóveis em dificuldades, medida que faz parte do pacote de US$ 75 bilhões anunciado pelo presidente Barack Obama em fevereiro.

"A crise atual é real, mas provisória. Como o preço dos imóveis caiu, a demanda no setor imobiliário vai aumentar", afirmou o departamento do Tesouro.

O plano, que tem como objetivo impedir o despejo de aproximadamente 9 milhões de famílias americanas, tem três pontos principais.

O primeiro é um compromisso do departamento do Tesoro (com US$ 15 bilhões) e dos organismos de refinanciamento hipotecário Fannie Mae e Freddie Mac (com US$ 60 bilhões) de ajudar os mutuários a reduzir suas prestações mensais.

O texto indica a existência de 3 a 4 milhões de famílias "em situação de risco" e superendividadas, cujas dívidas contraídas com a compra da casa, do carro, e com o pagamento de cartões de crédito chega a ultrapassar 40% ou 50% da renda.

A maior parte dos US$ 75 bilhões será usada para negociar com os mutuários uma redução de suas dívidas e pagamentos para 38% da renda familiar, em um primeiro momento; numa segunda etapa, a meta é baixar os gastos para 31% do orçamento.

O segundo ponto fala em "dar uma oportunidade para entre 4 e 5 milhões de proprietários responsáveis, que pediram empréstimos congelados ou garantidos por Freddie Mac e Fannie Mae para refinanciar sua dívida através destas instituições".

O último ponto é um compromisso do departamento do Tesouro a "apoiar as taxas hipotecárias baixas, reforçando a confiança em Fannie Mae e Freddie Mac".

(Redação com agências internacionais - InvestNews)