Bolsas da Ásia em alta; Xangai dispara 6% à espera de novo pacote na China

SÃO PAULO, 4 de março de 2009 - A expectativa de que o governo da China divulgará amanhã um novo pacote de estímulos para incentivar o crescimento da terceira maior economia do mundo fez o índice Xangai Composto disparar 6,12%, para 2.198,11 pontos, colaborando para as altas nas demais praças acionárias da Ásia nesta quarta-feira.

Li Deshui, ex-presidente do Departamento de Estatísticas da China, forneceu a informação sem especificar o montante envolvido no novo plano, que deverá ser anunciado pelo premiê Wen Jiaobao durante a abertura do Congresso Popular Nacional da China.

Há forte expectativa de que o governo do gigante asiático dobrará seus gastos públicos após o crescimento da economia local ter desacelerado para apenas 6,8% no quarto trimestre de 2008, atingindo seu pior nível dos últimos sete anos. Além disso, a nova proposta do governo chinês deverá se somar ao pacote de estímulos de 4 trilhões de iuanes (US$ 585 bilhões) divulgado em novembro passado.

O índice MSCI Ásia-Pacífico, que mede as bolsas da região com exceção do Japão, subiu 1,47% durante a madrugada, após atingir ontem seu menor nível em três meses. Em Hong Kong, indicador referencial Hang Seng terminou o dia com ganho de 2,47%, aos 12.331,15 pontos, revertendo a tendência de queda observada na abertura da sessão.

Entre os demais mercados da Ásia, o Nikkei 225 de Tóquio subiu 0,84%, para 7.290,96 pontos. O pregão nipônico foi também estimulado pela notícia de que o Banco do Japão (BoJ, central) vai iniciar a compra de bônus corporativos dos bancos comerciais. No total, a autoridade monetária pretende injetar 150 bilhões de ienes (US$ 1,5 bilhão) no sistema financeiro local.

A valorização do dólar frente ao iene colaborou ainda para os ganhos de companhias exportadoras, fortemente afetadas nos últimos pregões. No mercado de divisas de Tóquio, a moeda norte-americana terminou o dia negociada a 98,48 ienes, contra 97,67 ienes registrados na vespéra. Os papéis de empresas como Sony e Casio Computer, por exemplo, subiram mais 2,60%.

Por outro lado, os títulos da Toyota e Honda terminaram a sessão nipônica com baixas de 2,45% e 3,50%, respectivamente, prejudicados pelo recuo superior a 35% nas vendas de ambas as montadoras em fevereiro nos Estados Unidos.

Na Coreia do Sul, o índice Kospi avançou 3,28%, para 1.059,26 pontos. Cingapura, Filipinas, Nova Zelândia, Tailândia e Taiwan também terminaram o dia no azul. Na Indonésia, o indicador Jacarta Composto fechou com alta de 1,94%, aos 1.289,38 pontos, estimulado pela decisão da autoridade monetária local reduzir a taxa básica de juros em 0,5 ponto percentual, para 7,75% ao ano.

Já na Austrália, o All Ordinaries de Sydney perdeu 1,43%, para 3.125,90 pontos, afetado pela notícia de que a economia local sofreu uma contração de 0,5% no quarto trimestre de 2008, pela primeira vez em oito anos.

(Marcel Salim - InvestNews)