Dólar se ajusta após forte alta das últimas sessões

SÃO PAULO, 3 de março de 2009 - Os sinais de que a crise no setor financeiro global está se agravando reacendeu o sentimento de aversão a risco. O dólar, após subir quase 4% nas duas últimas sessões, voltou a cair nesta terça-feira em movimento de ajuste de posições. Instantes atrás, a moeda norte-americana valia R$ 2,414 na compra e R$ 2,416 na venda, com desvalorização de 0,82%.

Hoje, movimenta as mesas de operações uma matéria divulgada na imprensa norte-americana de que o governo de Barack Obama, em parceira com o setor privado, planeja montar uma série de fundos de investimentos para comprar empréstimos podres e outros ativos prejudicados pela crise. Também é esperado que em mais um esforço para descongelar o mercado de crédito e impulsionar a atividade nos Estados Unidos, o Federal Reserve anuncie medidas para incentivar os empréstimos aos consumidores em áreas como cartões de crédito e hipotecas.

Na agenda, os depoimentos do presidente do Fed, Ben Bernanke, e do secretário do Tesouro, Timothy Geithner, ao Congresso norte-americano são o carro-chefe desta terça. Ainda nos EUA, saem os dados de vendas pendentes de imóveis residenciais de janeiro. Aqui, números de inflação preenchem a pauta. A Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe/USP) divulgou que o Índice de Preços ao Consumidor (IPC), que mede a inflação na capital paulista, desacelerou para 0,27% em fevereiro, reforçando o cenário de que os preços se acomodaram.

(Simone e Silva Bernardino - InvestNews)