Volatilidade comanda negócios em véspera de feriado

SÃO PAULO, 20 de fevereiro de 2009 - No último pregão antes do Carnaval, o mercado de câmbio segue volátil e com volume de negócios reduzidos. Há pouco, a moeda norte-americana subia 1,87%, cotada a R$ 2,392 para compra e R$ 2,394 para venda com os investidores montando posições defensivas.

Nas mesas de operações, a cautela continua sendo a "palavra-chave", com os agentes financeiros em busca de proteção antes do feriado prolongado de Carnaval, que manterá fechado os pregões domésticos, enquanto que os mercados externos funcionam normalmente na próxima segunda e terça-feira.

"No curto prazo, a volatilidade tende a diminuir o apetite por risco", destacou um profissional. As incertezas com relação à situação dos bancos nas economias centrais mantém este cenário.

O Banco Central (BC) informou que as transações correntes (todas as operações do Brasil com o exterior) tiveram déficit de US$ 2,753 bilhões em janeiro. No mesmo período do ano passado, o saldo estava negativo em US$ 4,028 bilhões. O saldo das transações correntes serve de indicador para medir a vulnerabilidade externa do país.

Nesta manhã, as atenções estiveram voltadas para os mercados internacionais que iniciaram este último dia da semana com pessimismo e a tensão em um grau bastante elevado, com os investidores enfrentando o risco de estatização de bancos nos Estados Unidos, de contágio do leste emergente sobre a Europa ocidental, além dos indicadores econômicos e dados corporativos, que só reforçam a gravidade da crise.

Nos Estados Unidos, foi informado que o Índice de Preços ao Consumidor (CPI) registrou inflação de 0,3% em janeiro de 2009, já com ajustes sazonais. Em dezembro do ano passado, o CPI registrou queda de 0,8% (dado revisado). O núcleo do indicador, que exclui itens mais voláteis como alimentos e energia, apresentou acréscimo de 0,2% em janeiro após registrar estabilidade no mês de dezembro do ano passado.

(Maria de Lourdes Chagas - InvestNews)