UBS corta empregos depois de prejuízo de US$ 7 bi no 4º trimestre

REUTERS

ZURIQUE - O UBS vai cortar mais 2 mil empregos como parte de uma dura reestruturação depois que sofreu o maior prejuízo anual já registrado na Suíça. O banco informou que os saques de recursos de clientes parou em janeiro.

O UBS divulgou nesta terça-feira prejuízo líquido de 8,1 bilhões de francos suíços (US$ 7 bilhões) no quarto trimestre, acima da média de previsões de analistas ouvidos pela Reuters, de 7,1 bilhões de francos suíços.

O prejuízo líquido no ano de 2008 somou 19,7 bilhões de francos suíços, também acima da expectativa dos analistas, de 18,7 bilhões de francos. O prejuízo do quarto trimestre veio depois de uma perda de 8,8 bilhões de francos suíços com algumas operações, bem como encargos que a instituição teve de assumir após vender bilhões em ativos podres ao Banco Nacional Suíço quando foi resgatado pelo Estado em outubro.

O presidente-executivo do UBS, Marcel Rohner, afirmou a jornalistas que o maior banco da Suíça ainda tem como meta registrar lucro em 2009 depois de ver alguns sinais positivos no ambiente de negócios no início deste ano. - O UBS teve um início de ano encorajador. Entretanto, as condições dos mercados financeiros continuam frágeis uma vez que os fluxos de caixa continuam a se deteriorar. Nosso cenário de curto prazo continua sendo de cautela - afirmou.

O UBS continuou a sofrer grandes saídas de capital no quarto trimestre na divisão de gestão de fortunas. Mas o banco suíço informou que o fluxo líquido de recursos tornou-se positivo em janeiro tanto nessa divisão quando na unidade de gestão de ativos. Foi a primeira vez que isso ocorreu depois de uma série de trimestres negativos. O banco não deu detalhes.