Incertezas com Rússia e pacote nos EUA afetam Ásia

SÃO PAULO, 10 de fevereiro de 2009 - As bolsas da Ásia fecharam em queda nesta terça-feira, afetadas pelas incentezas dos investidores sobre o plano de resgate ao setor bancário nos Estados Unidos. As contradições diante do formato do pacote e as especulações de não criação de um "bad bank" para comprar ativos podres de bancos comerciais elevaram o nervosismo nas sessões.

O cenário piorou após a publicação japonesa Nikkei informar que bancos russos pedirão para Moscou renegociar com instituições financeiras européias e estrangeiras o adiamento do pagamento de até US$ 400 bilhões em empréstimos. A notícia ocasionou a forte queda do euro frente ao dólar e ao iene.

O índice MSCI Ásia-Pacífico, que mede as bolsas da região com exceção do Japão, recuou 0,8%. Entre os principais mercados, o Nikkei 225 de Tóquio caiu 0,28%, para 7.945,94 pontos, reduzindo os ganhos observados na abertura da sessão por conta da valorização da moeda nipônica, que torna menos atrativos os papéis de companhias exportadoras.

O destaque no pregão japonês ficou para as ações da montadora Nissan, que subiram 7,28% em função das medidas anunciadas ontem pela companhia para lidar com a recessão, assim como o corte de 20 mil empregos. A fabricante de veículos também reportou na segunda-feira que prevê um prejuízo líquido de 265 bilhões de ienes (US$ 2,91 bilhões) para o ano fiscal, com término em 31 de março de 2009.

O Kospi de Seul recuou 0,31%, para 1.198,87 pontos. O novo ministro das Finanças da Coreia do Sul, Yoon Jeung-hyun, anunciou hoje que enfrentará dificuldades em atingir um crescimento econômico positivo neste ano, e prometeu criar mais postos de trabalho para prevenir que a economia entre em recessão.

Os índices na Austrália,

Nova Zelândia, Indonésia e

Tailândia também fecharam no vermelho. Na contramão, o referencial Hang Seng de Hong Kong cresceu 0,81%, para 13.880,64 pontos. Já na China, o Xangai Composto subiu 1,82%, para 2.265,16 pontos.

(Marcel Salim - InvestNews)