Superávit na conta corrente do Japão tem pior queda em 23 anos

SÃO PAULO, 9 de fevereiro de 2009 - O superávit na conta corrente japonesa teve sua pior queda nos últimos 23 anos, informou nesta segunda-feira o Ministério das Finanças do Japão. O resultado foi prejudicado pela queda nas exportações devido à valorização do iene e à redução na demanda externa por conta da crise financeira mundial.

O saldo positivo nas contas externas japonesas caiu 92,1%, para 125,4 bilhões de ienes (US$ 1,09 bilhões). De acordo com o ministro das Finanças japonês, o resultado representa o décimo mês consecutivo de queda.

O presidente do Banco do Japão (BoJ, central), Masaaki Shirakawa, afirmou que as perspectivas para a economia japonesa são "severas" e que a recessão deve ser a pior desde o fim da Segunda Guerra Mundial. Empresas como a Hitachi e a NEC estão prevendo perdas e demitindo milhares de funcionários.

No total de 2008, o superávit das contas externas caiu 34,3%, para 16,3 trilhões de ienes. É o pior resultado da série histórica registrada pelo Ministério das Finanças do Japão desde 1996. No ano, as exportações caíram 3%, enquanto as importações tiveram crescimento de 8,8%.

Em dezembro, a queda nas exportações foi de 35,1% na comparação com o mesmo período do ano passado. Em novembro, as vendas japonesas para o mercado externo já haviam caído 26,5%. Já as importações diminuíram 21,2% em dezembro, após recuarem 13,7% em novembro.

O movimento da balança comercial foi fortemente influenciado pela valorização do iene, que avançou 17% frente ao dólar em 2008, encarecendo os produtos japoneses para compradores externos.

(Renato Sanchez - InvestNews)