Curva em ritmo de ajuste na BM&FBovespa

SÃO PAULO, 9 de fevereiro de 2009 - Os investidores aproveitaram a segunda-feira para ajustar a curva de juros para cima e em alguns vencimentos houve até realização de lucro diante dos dados do Boletim Focus e da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea). Na BM&FBovespa as projeções de juros embutidas nos contratos de Depósito Interfinanceiro (DI) apontaram alta. O DI de janeiro de 2010, o mais líquido, apontou taxa anual de 11,12% ante 11% do ajuste de sexta-feira.

Mesmo com a perspectiva de que a taxa básica de juros (Selic) terminará 2009 na casa dos 10,75% ao ano, os analistas consultados pelo Banco central (BC) acreditam que o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) deve alcançar 4,73% em dezembro, taxa superior a projetada uma semana antes (4,6%). A constatação faz parte do Boletim Focus elaborado em 6 de fevereiro pelo BC. No entanto, analistas explicam que a elevação ocorre após a divulgação de indicadores de inflação relativos ao mês de janeiro acima das previsões do mercado.

O analista econômico da Mercatto Investimentos, Gabriel Goulart, chama a atenção para os dados da Anfavea que surpreenderam positivamente, pois, revelam que a atividade está ruim, no entanto, não está tão dramática em relação aos últimos números de produção que foram divulgados. Pare ele, a curva de juros se ajustou para cima estimulada por esses dados que acabam enfraquecendo um pouco as apostas de cortes mais ousados na Selic, fixada em 12,75% ao ano.

A Anfavea informou hoje que a produção de veículos no Brasil saltou 92,7% em janeiro face dezembro, mas caiu 27,1% contra igual mês do ano anterior, para 186,1 mil unidades. As vendas subiram 1,5% em janeiro, em relação ao mês anterior, totalizando 197,5 mil unidades vendidas. Entretanto, em relação a janeiro de 2008, houve um declínio de 8,1%.

Diante desse cenário, Goular acredita que Comitê de Política Monetária (Copom) pode reduzir os juros entre 0,75 e 1 ponto na próxima reunião agendada para 10 e 11 de março.

(Maria de Lourdes Chagas - InvestNews)