2009 pode ter PIB ainda mais magro

SÃO PAULO, 9 de fevereiro de 2009 - A queda da atividade industrial em 2008 acima do previsto pelo mercado aumentou a crise de confiança, diante da preocupação de que o momento mais crítico da economia mundial ainda não acabou. Esse cenário fez com que os analistas reduzissem a previsão de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro. A constatação faz parte do Boletim Focus produzido em 06 de janeiro pelo Banco Central (BC).

O clima de tensão fez os analistas reduzirem de 1,8% para 1,7% a previsão de expansão da economia doméstica. Para 2010, a taxa foi mantida em 3,8% - pela segunda semana consecutiva.

No mesmo sentido, a projeção para o desempenho da produção industrial caiu de 2% para 1,8% neste ano, entretanto, subiu de 4% para 4,1% em 2010.

Pela quarta semana seguida, o mercado reduziu a perpectiva da relação dívida pública (diferença entre despesas e arrecadação do governo) sobre o PIB, que passou de 36,3% para 36,1%. Para 2010, a estimativa caiu de 35,2% para 35,1%.

(Vanessa Stecanella - InvestNews)