Vale disputa projeto bilionário na Tunísia

JB Online

JB ONLINE - A Vale está na disputa para a exploração e produção de fosfato na Tunísia, país que é grande produtor do insumo utilizado na indústria de fertilizantes. Se ganhar o contrato, a empresa vai assumir um projeto cujo valor é estimado entre US$ 2 bilhões e US$ 2,5 bilhões.

A informação foi dada ontem pelo ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Miguel Jorge, durante seminário para empresários, em Túnis, terceira etapa da missão empresarial ao Norte da África organizada pelo ministério.

A mina disputada pela Vale e outras companhias é uma das maiores do mundo, segundo o ministro. Ele acrescentou que, caso saia vitoriosa, a empresa assumirá o compromisso de exportar tudo o que for produzido para o Brasil, que tem grande demanda por fertilizantes importados.

Jorge disse que a companhia se compromete também a transferir toda a tecnologia de exploração e produção para o país árabe.

- Temos que procurar uma relação mais produtiva entre os países. Cooperação é isso - declarou o ministro. Todas as nações do Norte da África buscam atrair empresas que incluam a transferência de know-how.

O ministro acrescentou que a empresa pretende viabilizar o negócio com recursos próprios, sendo que podem ser gerados entre 18 mil e 20 mil empregos no país. A Vale, segundo Jorge, se comprometeu ainda a não importar mão-de-obra do Brasil.

- O Brasil é um grande importador de fosfato, então esse projeto é de grande interesse também para o governo brasileiro - declarou.