Lula critica protecionismo para solucionar crise

Agência Brasil

BELÉM - O presidente Luis Inácio Lula da Silva disse nesta sexta-feira, durante o Fórum Social Mundial, em Belém, que a evolução da crise econômica vai depender do comportamento dos países ricos e criticou medidas protecionistas americanas para tentar recuperar a economia.

- Eu li ontem que o presidente Barack Obama tomou uma decisão de que os novos investimentos deles devem usar só aço da siderúrgica americana. Se isso for verdade, é um equívoco. O protecionismo nesse momento vai agravar a crise, não resolvê-la. É importante que os países ricos não esqueçam nunca que foram eles que inventaram essa história de que o comércio poderia fluir livremente pelo mundo. Não é justo que agora, que eles entraram em crise, esqueçam o discurso do livre comércio e passem a ser os protecionistas que nos acusavam de ser - afirmou Lula.

O presidente disse que os países ricos não sabem o que fazer diante da crise e voltou a dizer que até agora não viu 'o FMI dar palpite' como faz com os países da América Latina.

- Quando o calo é no pé dos outros, é mais fácil resolver - ironizou. O presidente afirmou que tem esperança de que Barack Obama tome logo as medidas necessárias para recuperar e a economia e 'não permitir que os países pobres paguem por uma crise que não criaram'.

Além de criticar o protecionismo, Lula defendeu medidas para a regulamentação do mercado futuro e do sistema financeiro como caminhos para superar a crise.