Desembolsos do BNDES sobem 42% em 2008, a R$ 92 bi

Portal Terra

TERRA - O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) atingiu o recorde de R$ 92,2 bilhões em desembolsos no ano de 2008, o que representa uma alta de 42% em relação ao ano anterior, segundo divulgou nesta quinta-feira o presidente da instituição, Luciano Coutinho.

O valor deve possibilitar investimentos de R$ 129,4 bilhões na economia. As aprovações atingiram R$ 121,4 bilhões (23%), os enquadramentos, R$ 155 bilhões (33%) e as consultas para novos investimentos, R$ 175,8 bilhões (39%).

O desembolsos financiados pelo BNDES foram responsáveis pela geração ou manutenção de 2,8 milhões de empregos em 2008 nas empresas que receberam os recursos.

- O desempenho vem em uma ascensão demonstrada, inclusive, no segundo semestre no que diz respeito aos desembolsos, que ultrapassaram as nossas expectativas, que inicialmente eram de fechar entre R$ 80 bilhões e R$ 85 bilhões - disse o Coutinho.

Os projetos industriais responderam por 43% dos desembolsos do BNDES em 2008. Já os de infra-estrutura, equivaleram a 39% do total liberado no período.

Na indústria, os desembolsos atingiram R$ 39 bilhões (crescimento de 48%) e a infra-estrutura, R$ 35 bilhões (37% de alta).

Os destaques ficaram com os setores de alimentos e bebidas, com R$ 10 bilhões, seguido de material de transporte (R$ 7,5 bilhões), transporte rodoviário (R$ 13,8 bilhões), energia nuclear (R$ 8,6 bilhões) e telecomunicações (R$ 6,2 bilhões).

- Com relação à infra-estrutura, o crescimento é muito firme e confirma o aumento dos investimentos que vêm desde 2006. A gente espera em 2009 que a ascensão de desembolsos em infra-estrutura continue - disse Coutinho.

Nas aprovações, os projetos industriais totalizaram R$ 57,7 bilhões, um crescimento e 51%. Esse desempenho positivo se deve principalmente às áreas de alimentos e bebidas (R$ 11,3 bilhões), metalurgia (R$ 10,4 bilhões ) e indústria extrativa mineral (R$ 12,7 bilhões).

As aprovações para infra-estrutura chegaram R$ 44,3 bilhões, com destaque para energia elétrica (R$ 17 bilhões) e transporte rodoviário (R$ 14 bilhões).

Segundo Coutinho, a expectativa de expansão de 2009, com aprovação de grandes projetos de energia elétrica, aliados ao Programa de Aceleração ao Crescimento (PAC).

- Nossa grande preocupação é continuar ajudando a gerar empregos, sustentando os investimentos, nessa época de crise economia internacional - completou o presidente do BNDES.