Temores sobre a saúde dos bancos afetam Ásia

SÃO PAULO, 21 de janeiro de 2009 - As bolsas da Ásia fecharam em queda nesta quarta-feira, afetadas novamente pela preocupação dos investidores com a saúde do setor bancário mundial. O temor de que novos balanços abaixo do esperado deverão intensificar a deterioração da economia global elevou a aversão ao risco nos pregões.

O Bank of New York Mellon, um dos maiores bancos dos Estados Unidos, teve queda de 88% no lucro líquido do quarto trimestre de 2008, para US$ 61 milhões, ante US$ 520 milhões obtidos um ano antes. Já a gestora de investimentos State Street Corporation reportou um recuo de 72,1% no lucro líquido entre outubro e dezembro de 2008, para US$ 65 milhões, contra US$ 223 milhões obtidos em igual período de 2007.

Nem mesmo a posse de Barack Obama como 44º presidente dos Estados Unidos foi suficiente para animar os mercados. O novo líder afro-americano prometeu "uma ação firme e audaciosa" para reativar a economia norte-americana.

Na Ásia, o índice MSCI Ásia-Pacífico, que mede as bolsas da região com exceção do Japão, caiu 3,19%, registrando baixa pelo segundo dia consecutivo. O indicador acumula perda de quase 10% no acumulado do ano.

Entre os principais índices da região, o Nikkei 225 de Tóquio teve baixa de 2,03%, para 7.901,64 pontos. O Kospi de Seul recuou 2,05%, para 1.103,61 pontos. Em Hong Kong, o referencial Hang Seng perdeu 2,90%, para 12.583,63 pontos. Já na China, após operar em alta na metade da sessão, o indicador Xangai Composto terminou o dia com desvalorização de 0,46%, para 1.985,02 pontos.

O índice All Ordinaries da Austrália, Straits Times de Cingapura, NZX-50 da Nova Zelândia e Jacarta Composto da Indonésia também fecharam no vermelho, com queda de 0,88%, 1,09%, 0,16% e 1,69%, respectivamente.

Entre os ativos asiáticos, o destaque ficou para o setor bancário. As ações dos japoneses Mitsubishi UFJ Financial despencaram 8,52%, enquanto os papéis do Mizuho Financial perderam 4,82%. Em Hong Kong, o HSBC intensificou as baixas ao perder hoje 4,34%. Já na Austrália, os títulos do Macquarie Group diminuíram 4,41%.

Ainda no cenário corporativo, a mineradora anglo-australiana BHP Billiton informou que cortará seis mil empregos no mundo todo. As ações da companhia sofreram queda de 1% na Bolsa de Valores de Sydney.

Nesta quinta-feira, os investidores asiáticos centram suas atenções na decisão do Banco do Japão (BoJ, central), que deu início hoje a sua reunião de política monetária de dois dias para analisar a manutenção da taxa básica de juros, atualmente fixada em 0,10% ao ano. De acordo com os analistas consultados pela agência de notícias Kyodo, a autoridade nipônica manterá o juro inalterado.

(Marcel Salim - InvestNews)

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais