Preço ao atacado pressiona e IGP-M tem deflação

SÃO PAULO, 21 de janeiro de 2009 - A queda nos preços ao atacado pressionam mais uma vez o Índice Geral de Preços ao Mercado (IGP-M). Dados da Fundação Getúlio Vargas (FGV) mostram que na segunda prévia do mês, o indicador aportou deflação de 0,58%, ante pequena alta de 0,05% registrada no mês anterior, para o mesmo período de coleta. O grande responsável pelo recuo foi o Índice de Preços por Atacado (IPA), com variação negativa de 1,09%, ante deflação de 0,15% do mês anterior.

Dentro deste componente, o grupo Bens Finais ampliou queda de -0,20% em dezembro para -0,86% este mês. A maior contribuição para esta desaceleração partiu do subgrupo veículos e acessórios, que despencou de 0,73% para -8,31%.

Embora positivo, o Índice Nacional da Construção Civil (INCC) também registrou recuo nesta segunda prévia de janeiro, passando de 0,25% para 0,15%. A taxa relativa a Materiais e Serviços baixou de 0,38%, na apuração de dezembro, para 0,29% agora em janeiro. O índice que capta o custo da Mão-de-Obra não variou em janeiro. Na apuração referente ao mesmo período do mês anterior, o índice apresentou variação de 0,10%. Por outro lado, o Índice de Preços ao Consumidor (IPC) registrou alta de 0,59%, no segundo decêndio de janeiro, ante 0,54%, em igual período de dezembro. Quatro das sete classes de despesa componentes do índice apresentaram aceleração. O principal destaque foi o grupo Educação, Leitura e Recreação que subiu de 0,38%, em dezembro, para 1,18%, em janeiro. Nesta classe de despesa, o principal destaque foi o item cursos formais, cuja taxa disparou de 0,00% para 1,68%.

(PD - InvestNews)

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais