VCP e BNDES podem controlar Aracruz

SÃO PAULO, 20 de janeiro de 2009 - Em meio à crise financeira mundial, o grupo Votorantim, em conjunto com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), anunciou hoje planos para formação da maior empresa de celulose do mundo, por meio da aquisição de 28% das ações da Aracruz, detidas pela Arapar. O valor da negociação é de R$ 2,710 bilhões. As novas ações, somadas às já detidas pelas partes, dará ao Grupo Votorantim e ao BNDES o controle da Aracruz.

No entanto, vale lembrar que, já prevendo futuras ofertas de compra por parte da Votorantim, o Grupo Safra, também detentor de 28% das ações da Aracruz, e a Arapar, firmaram contrato se comprometendo a dar preferência um ao outro no caso de venda da participação acionária. Sendo assim, o Grupo Safra tem poder de vetar a compra, pela Votorantim, das ações detidas pela Arapar.

A Votorantim Celulose e Papel (VCP), entretanto, afirmou que o Safra, como uma instituição financeira, sinalizou não ter interesse na aquisição do controle da Aracruz. "Somos uma empresa do ramo, atuante há mais de 20 anos. Nos parece muito mais interessante adquirir essa companhia, formando uma nova instituição, muito mais forte", disse o diretor-geral da Votorantim Industrial (VID), Raul Calfat.

Segundo Calfat, o que ainda não foi definido é se o Grupo Safra continuará como acionista da Aracruz, apesar de se tornar minoritário (mantendo os 28%), ou se também venderá sua parte ao Grupo Votorantim. A VCP adiantou que está disposto a comprar a participação acionária do Safra pelo mesmo valor oferecido à Arapar (R$ 2,710 bilhões).

De acordo com a VCP, a empresa resultante da "fusão" entre Aracruz e VCP dominará 12% do mercado mundial. A incorporação da Aracruz deverá ser finalizada nos próximos quatro meses, quando então haverá migração de mercado, passando as ações da nova empresa para o tipo ordinária (ON).

Segundo a VCP, a reestruturação societária das duas empresas (VCP e Aracruz) será feita em três etapas, haverá "um aumento de capital, uma oferta pública de ações e uma incorporação". "Ao final de todas as etapas , a VCP terá incorporados as ações da Aracruz e surgirá então uma nova empresa, com controle brasileiro, líder em celulose no mundo e referência em governança corporativa, com ações negociadas no Novo Mercado", informou a VCP.

(Carina Urbanin - InvestNews)

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais