Fusão VCP/Aracruz gera dúvida sobre demissões

SÃO PAULO, 20 de janeiro de 2009 - O Plano de fusão e aquisição do controle da Aracruz, anunciado hoje pelo Grupo Votorantim, em ação conjunta com o Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), prevê a criação de 9 mil empregos, até 2020, informou hoje o diretor-geral da Votorantim Industrial (VID), Raul Calfat.

´Apesar da junção administrativa das empresas, as áreas produtivas estão muito pulverizadas´, disse Calfat, afirmando que não haverá cortes nas áreas produtivas, mas sim a criação de novos postos de trabalho, inclusive no curto prazo.

No entanto, questionado, Calfat afirmou que nas áreas corporativa e administrativa haverá demissões. ´Essas áreas, que também são as dos melhores salários, serão fundidas. Haverá demissão não por falta de recursos da companhia, mas por causa da fusão, que reduzirá as duas empresas (Votorantim Celulose e Papel - VCP e Aracruz) em uma mesma administração´, disse.

Calfat reiterou que, apesar da crise mundial, o Grupo Votorantim não passa por dificuldades financeiras. "Enquanto outras empresas estão demitindo, estamos investindo e empregando", destacou. "Em março deste ano iniciaremos as operações em uma nova planta de celulose, em Três Lagoas (MS). Serão gerados cerca de 3 mil empregos, e a unidade terá capacidade de produzir 1,3 milhão de toneladas de celulose por ano", ressaltou.

Ainda segundo Calfat, a empresa ocupa uma posição confortável diante da crise financeira global pois "entre setembro e outubro de 2008 foram tomadas todas as iniciativas necessária para os ajustarmos à situação da mercado global". Calfat acrescentou que, no período, foram demitidos cerca de 400 funcionários do Grupo Votorantim.

(Carina Urbanin - InvestNews)

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais