Tesouro Direto capta R$ 1,5 bi em títulos públicos em 2008

Agência Brasil

AGÊNCIA BRASIL - A Secretaria do Tesouro Nacional divulgou balanço nesta quarta-feira sobre o programa Tesouro Direto, que vendeu R$ 1,5 bilhão em títulos públicos a pessoas físicas pela internet em 2008. O resultado foi o melhor desde a criação do sistema em 2002.

O volume representa crescimento de 102,1% em relação aos R$ 771,2 milhões vendidos em 2007. A adesão ao programa também bateu recorde. O Tesouro Direto encerrou 2008 com 145.939 investidores cadastrados, aumento de 41,7% sobre o ano anterior.

A maior demanda dos investidores foi por títulos prefixados. Esses papéis, cujo rendimento está definido no momento da compra, responderam por 45,9% das vendas.

Em segundo lugar, ficaram os títulos indexados ao Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), com 37,7% de participação. Os títulos corrigidos pela taxa Selic representaram 16,39% das compras.

Os investidores se concentraram em aplicações de baixo valor. As vendas até R$ 1 mil atingiram 27,6% do volume vendido em 2008. Entre os investidores, 63,6% adquiriram até R$ 5 mil em títulos públicos.

De acordo com o Tesouro Nacional, a aplicação em títulos públicos rendeu mais do que outros investimentos em renda fixa. Enquanto a poupança rendeu 7,89% e o Certificado de Depósito Interbancário (CDI) rendeu 12,37% em 2008, os títulos prefixados apresentaram retorno de 11,9% a 14,2%. No mesmo período, os títulos indexados à Selic renderam entre 12,2% e 12,5%.

Apesar de encerrarem o ano com recorde, as vendas do Tesouro Direto caíram em dezembro. No mês passado, as compras de títulos por pessoas físicas somaram R$ 160,7 milhões, 10,7% menor que os R$ 180 milhões registrados em novembro.

O maior volume mensal vendido foi registrado em outubro, quando as aquisições somaram R$ 259 milhões. Na ocasião, o agravamento da crise financeira fez os investidores migrarem das ações em queda para os títulos públicos.

O mês com a menor venda de títulos foi junho, com R$ 52,11 milhões.

Criado em janeiro de 2002 com a intenção de popularizar a aplicação em papéis do governo, o Tesouro Direto permite que pessoas físicas adquiram títulos públicos diretamente pela internet.

A compra é feita sem intermediários, mas o aplicador deve pagar taxa a uma corretora que ficará com a custódia dos títulos.