Lucro da Tractebel sobe 12,8% em 2008

SÃO PAULO, 14 de janeiro de 2009 - A Tractebel apresentou uma performance financeira acima das expectativas durante o ano de 2008. "Os números ficaram um pouco acima da expectativa, principalmente, em virtude dos acertos na estratégia de sazonalização adotada pela empresa, e pelo nível de geração térmica verificado", afirmou o presidente da empresa, Manoel Zaroni. No acumulado dos nove primeiros meses, o lucro líquido cresceu 12,8%, passando de R$ 744,6 milhões em 2007 - para R$ 839,5 milhões em 2008. A receita líquida foi 14,6% superior (R$ 2.590,7 milhões contra R$ 2.261,6 milhões) e o Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) aumentou 21,9%, atingindo R$ 1648,6 milhões em 2008 contra R$ 1351,9 milhões no ano anterior.

Para Zaroni, o cenário para o mercado energético durante 2008 foi favorável, apesar do atraso no período de chuvas no mês de janeiro, prejudicando o nível nos reservatórios de usinas hidrelétricas. Já as usinas termelétricas, embora ainda haja restrição no suprimento de gás, conseguiram atingir ao final do mês de novembro um nível equivalente a 53% do armazenamento do sistema interligado. "O que ainda preocupa é a qualidade da expansão nos próximos anos, baseada fortemente em térmicas a óleo, e a capacidade de sua concretização, visto que um grande volume está concentrado em poucos agentes que poderão ser afetados pela restrição de crédito decorrente da crise financeira", pondera o presidente da Tractebel.

Em um cenário de turbulência econômica global, o presidente explica que a crise de crédito não afetou a empresa, que está contratada para os próximos anos. Entre os projetos da empresa, a construção da Usina Hidrelétrica São Salvador, que deverá entrar em operação mês que vem. A construção da usina foi realizada em tempo recorde no País, 30 meses, e foram investidos R$ 850 milhões. Durante este ano, a Tractebel também desenvolveu, em parceria com o grupo Açúcar Guarani, uma usina termelétrica movida a biomassa de cana de açúcar, a UTE Andrade, cujo início das operações está previsto para abril de 2010. Há ainda projetos do grupo GDF Suez, principal investidor privado de geração e controlador da Tractebel. O grupo pretende ampliar seu parque termelétrico a carvão, por meio da usina Seival, além do mercado brasileiro.

(Aline Khouri - InvestNews)