Anvisa discute regras para controle de pragas urbanas

SÃO PAULO, 14 de janeiro de 2009 - A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) informou que as empresas especializadas em controle de vetores e pragas urbanas ficarão sujeitas a normas mais rígidas. A consulta pública 76/08 discute a atualização do regulamento para funcionamento dessas empresas. As exigências dizem respeito às instalações das empresas, ao transporte dos produtos, à destinação das embalagens e às rotinas de trabalho, além de ressaltar a obrigatoriedade de um responsável técnico.

O objetivo é impor maior rigor às exigências para eliminar a ação dos aplicadores clandestinos que oferecem seus serviços de porta em porta e usam produtos não confiáveis, explica a gerente geral de Saneantes da Anvisa, Tânia Pich.

A principal novidade da proposta é a obrigatoriedade de que o fabricante do produto seja o responsável pela destinação final das embalagens. Para isso, as embalagens deverão ser encaminhadas, das prestadoras de serviço aos estabelecimentos nos quais os produtos foram adquiridos e, destes, para os fabricantes.

A proposta é reduzir o risco de intoxicação e os impactos ao meio ambiente.

(Redação - InvestNews)