Trabalhadores fazem paralisação contra demissões na GM

JB Online

RIO - Funcionários da General Motors fizeram na manhã desta terça-feira uma paralisação de uma hora em protesto contra as 744 demissões de temporários anunciadas na véspera. Segundo o Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos, os trabalhadores exigem a readmissão dos dispensados e devem fazer mais paralisações para conseguir garantias de estabilidade da companhia.

A montadora anunciou na segunda-feira a demissão de 744 funcionários da unidade no interior paulista, que emprega cerca de 8,9 mil pessoas e produz modelos como Corsa, Zafira, Meriva e a picape Montana. De acordo com a empresa, os corte se limitam aos temporários, que teriam o contrato encerrado entre julho e agosto deste ano.

Os trabalhadores ainda reivindicam a atuação dos governos federal, estadual e municipal contra as demissões e se reunirão novamente em assembléia na tarde de hoje. Segundo o sindicato, o governo poderia evitar cortes em massa reduzindo a jornada de trabalho para 36 horas semanais, sem redução salarial.

O vice-presidente da GM no Brasil, José Carlos Pinheiro Neto, afirmou em entrevista à GloboNews que a empresa vai negociar com os metalúrgicos e dará preferência aos funcionários demitidos em contratações quando a situação econômica da empresa melhorar. Além disso, o executivo confirmou investimentos da ordem de US$ 500 milhões na unidade.