Obama pede liberação de US$ 350 bilhões para conter crise

SÃO PAULO, 13 de janeiro de 2009 - O presidente eleito dos Estados Unidos, Barack Obama, pediu hoje ao presidente George W. Bush, que libere US$ 350 bilhões - a segunda metade do pacote de US$ 700 bilhões - para evitar a piora da crise no sistema financeiro.

Obama, que assumirá ao cargo no próximo dia 20, prometeu mudanças fundamentais em como a próxima fase do pacote de estímulo será implementada, dizendo que agora ele vai se concentrar em evitar a execução de hipotecas de mutuários inadimplentes, ajudar pequenas empresas e criar empregos; diferente da forma como George Bush utilizou a primeira metade do pacote de estímulos para a economia.

"Está claro que o sistema financeiro, embora tenha melhorado em relação a setembro, ainda está frágil", disse Obama à imprensa norte-americana, após revelar que consultou a comunidade empresarial e seus principais assessores econômicos.

"Sinto que seria irresponsabilidade, com US$ 350 bilhões já gastos, entrar na administração sem ter munição disponível para enfrentar uma situação de emergência ou até a debilidade do sistema financeiro", acrescentou.

O plano de resgate de US$ 700 bilhões foi aprovado em outubro de 2008 pela Casa dos Representantes do Congresso, após ter sido rejeitado em uma versão anterior. O impacto da rejeição provocou uma queda acentuada de bolsas de valores em várias partes do mundo.

O Departamento do Tesouro injetou a primeira metade dos recursos do pacote principalmente em bancos em dificuldades, mas vários membros do Congresso ficaram insatisfeitos com a forma como o dinheiro vem sendo administrado pelo governo de George Bush.

(Redação - InvestNews)