Dados sinalizam que País caminha para recessão

SÃO PAULO, 13 de janeiro de 2009 - Os dados de novembro da Pesquisa Industrial de Emprego e Salário divulgados hoje pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) confirmam que o País está caminhando para a recessão. A avaliação é do economista-chefe da SulAmérica, Newton Rosa.

Rosa destacou que da maneira como a economia brasileira se comporta diante da crise mundial, "com ajustes muito rápidos e uma brusca parada na produção, até o final de 2009, a taxa de desemprego deve chegar a 10%". Rosa disse ainda não acreditar em uma recuperação para o setor no curto ou no médio prazo. Segundo ele, "em pelo menos mais um ano essa tendência deve persistir."

Para o economista, o recuo de 0,6% no número de empregados da indústria em novembro, ante outubro, é muito significativo. Mesmo que na comparação com novembro de 2007 o resultado seja positivo (0,4%). "A queda confirma que a tendência de crescimento demonstrada pela indústria nos primeiros trimestres de 2008, se reverteu. Assim, quando compararmos os dados deste ano com os registrados no ano anterior, os resultados serão negativos".

Quanto à queda (1,7%) no número de horas pagas, que registrou o maior índice desde o início da série, em janeiro de 2001, e o recuo de 2,7% na folha de pagamentos dos empregados do setor, Newton destacou que elas refletem a apreensão dos empresários que estão reduzindo a produção das indústrias, já acreditando em grandes quedas no consumo.

Na mesma linha, o economista disse que os números negativos divulgados hoje não trouxeram nenhuma novidade. "Os dados da produção industrial apresentados na semana passada (que apontaram queda de 5,2% na produção de novembro) já sinalizavam a queda de emprego e salário no setor. Se a produção cai, o número de empregados também cai", concluiu, reforçando que os índices refletem diretamente o desempenho da produção física, que vem sendo reduzida.

(Carina Urbanin - InvestNews)