Safra de trigo 08/09 da Argentina será ainda menor, diz bolsa

REUTERS

REUTERS - A safra de trigo da Argentina na temporada 2008/09 provavelmente será reduzida para 9,3 milhões de t, ainda menor do que a estimativa da semana passada, devido à baixa produtividade obtida em importante zona produtora, afirmou a Bolsa de Cereais de Buenos Aires nesta terça-feira.

A Argentina, o quarto exportador de trigo do mundo no ano passado, colheu 16,3 milhões de t em 07/08.

Em 08/09, no entanto, uma seca prolongada afetou as lavouras e levou muitos produtores a desistirem de plantar.

Em seu relatório semanal sobre o progresso da lavoura, a bolsa reduziu a estimativa de produção em 400 mil t, ante previsão anterior de 9,7 milhões de t.

A bolsa citou produtividades mais baixas que as esperadas ao sul de Buenos Aires, que responde por cerca de metade da safra argentina.

A instituição informou que o tempo seco e quente, atualmente, tem permitido aos produtores avançar com os trabalhos de colheita.

Os produtores já colheram 92,4% dos 4,55 milhões de hectares plantados, um aumento de 22,4 pontos percentuais ante o último relatório, divulgado há 11 dias.

A colheita deste ano segue mais rápida do que a verificada na mesma época do ano passado, superando-a em 19,4 pontos percentuais.

O governo da Argentina estima a safra de trigo em 9 milhões de t, enquanto o USDA (Departamento de Agricultura dos EUA) prevê 10,5 milhões.

Diante da queda na produção, o USDA prevê uma redução no saldo exportável da Argentina em 08/09 para 5,3 milhões de t, ante 10,5 milhões em 07/08.

O Brasil costuma ser o principal comprador do trigo argentino. Apesar de contarem com uma menor oferta no parceiro do Mercosul em 08/09, os brasileiros terão uma maior disponibilidade interna, pois a safra nacional cresceu mais de 50 por cento em 2008 ante 2007, para 5,8 milhões de t, segundo dados do Ministério da Agricultura.