índice de inflação do aluguel tem a maior alta desde 2004

JB Online

RIO - Apesar de ter tido uma queda de 0,13% em dezembro, o Índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M), índice de inflação que serve de referência para o reajuste de aluguéis, tarifas e outros contratos, teve alta de 9,81% em 2008, segundo dados divulgados pela Fundação Getúlio Vargas nesta segunda-feira.O resultado consolidado do ano corresponde à maior alta do índice desde 2004, quando o IGP-M subiu 12,42%.

O índice de 2008 também é superior ao registrado no fechamento de 2007 (+7,75%). Em 2006, o índice teve variação positiva de 3,84% e, em 2005, de 1,20%.

A deflação de dezembro ainda está restrita ao atacado. De acordo com os dados da FGV, o Índice de Preços por Atacado (IPA) caiu 0,42% em dezembro, depois de ter subido 0,30% no mês anterior. A principal contribuição veio do grupo Bens Finais (-0,41), cujo subgrupo alimentos processados teve queda nos preços de 1,11%. No mês anterior, a redução foi de 0,20%. O grupo Bens Intermediários teve queda 1,07%, após subir 0,39% no mês passado. Já o índice de Matérias-Primas Brutas foi o que apresentou alta de 0,53% em dezembro, após 0,42% em novembro.

Na prática, o consumidor ainda sente aumento de preços, já que o Índice de Preços ao Consumidor (IPC) registrou alta de 0,58%, ante ganho de 0,52% em novembro. A principal contribuição veio do grupo Transportes (0,09% para 0,50%). Também aceleraram os grupos Saúde e Cuidados Pessoais (0,42% para 0,71%), Despesas Diversas (-0,07% para 0,22%), Vestuário (0,53% para 0,58%) e Educação, Leitura e Recreação (0,34% para 0,40%). Em contrapartida, o grupo Alimentação (0,97% para 0,82%) registrou decréscimo.

O Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) também subiu, 0,22%. Mas houve uma desaceleração frente ao avanço de 0,65% apurado no mês anterior. Os grupos Materiais e Mão-de-Obra apresentaram redução em suas taxas de variação, passando de 1,07% para 0,31% e de 0,24% para 0,03%, respectivamente. O grupo Serviços foi de 0,66% para 0,75%.

No ano, os preços no atacado subiram 10,84%, enquanto o índice dos consumidores avançou 6,07% e o INCC teve alta de 12%. O IGP-M de dezembro foi calculado com base na variação dos preços entre os dias 21 de novembro e 20 de dezembro.

Com informações da Reuters