Dólar recua em nível global à espera de indicadores

SÃO PAULO, 23 de dezembro de 2008 - Informações importantes sobre a maior economia do planeta, os Estados Unidos, mantêm os poucos investidores que sobraram em operação em estado de alerta, o que reduz ainda mais o volume de negócios. No câmbio, o real opera em alta, acompanhando o movimento de valorização das principais moedas do mundo. Há pouco, o dólar caía 0,58%, a R$ 2,38.

Além de uma nova revisão do Produto Interno Bruto (PIB) norte-americano no terceiro trimestre, os players recebem os dados sobre a confiança do consumidor medido pela Universidade de Michigan e novos números sobre o mercado imobiliário. "Os números devem contribuir para que se tenha uma visão mais apropriada da evolução do quadro recessivo na economia norte-americana", comentou um operador.

Nos mercados acionários, o clima de apreensão continua dominando o humor dos asiáticos, derrubando suas principais bolsas de valores. Já na Europa e em Wall Street, os índices futuros apontam para cima, mas o movimento ao longo do dia pode não se sustentar se os indicadores macroeconômicos vierem pior do que o esperado. "A expectativa é de que a recessão, que já dura um ano, continuará corroendo os lucros corporativos", destacou um profissional.

Para Miriam Tavares, diretora de câmbio da AGK Corretora, não há perspectiva de uma melhora mais consistente e sólida no curto prazo, ou seja, os indicadores econômicos devem continuar evidenciando que os efeitos da crise financeira sobre a economia real são significativos. Segundo a executiva, o câmbio deve oscilar entre R$ 2,35 e 2,40 nesta sessão.

(Simone e Silva Bernardino - InvestNews)