Crise de liquidez foi superada, diz governo da Coréia do Sul

SÃO PAULO, 23 de dezembro de 2008 - O governo da Coréia do Sul anunciou sua conclusão preliminar de que a falta de liquidez nos mercados e a crise cambiária, que afetou a economia sul-coreana nos últimos três meses, foram superadas.

As autoridades afirmaram que, apesar dos sinais de desaquecimento presentes na economia real, a falta de liquidez gerada pela escassez de dólares no mercado local não será mais problema. O governo ainda descartou a possibilidade da crise voltar e afetar novamente a economia sul-coreana, a menos que ocorram situações inesperadas, como a quebra do banco norte-americano Lehman Brothers.

"Já superamos a falta de liquidez no mercado de divisas. Ao analisar vários indicadores econômicos e a situação do mercado dentro e fora do país, tivemos a certeza de que a crise de liquidez já não afeta mais a Coréia do Sul, e que não deverá afetar novamente a economia no curto prazo", informou o Ministério de Estratégia e Finanças.

Em 2008, o governo e o Banco da Coréia do Sul (BoK, central) proporcionaram no total US$ 24 bilhões e US$ 10 bilhões, respectivamente, para elevar a liquidez nos mercados. Além disso, em uma atuação conjunta, ambos injetaram US$ 30 bilhões.

Em consequência, a moeda sul-coreana (won), que permanecia com forte desvalorização frente ao dólar, se recuperou. Apenas neste mês, a divisa da Coréia do Sul teve alta de 15,4% ante a moeda norte-americana.

"Acredito que a crise de liquidez acabou. Considerando as enormes reservas de divisas do país e os recentes acordos de swap com os Estados Unidos, Japão e China, não prevejo outra crise deste tipo na Coréia do Sul", disse Kwon Sun-soo, diretor da divisão de macroeconomia do Instituto de Investigação Econômica da Samsumg.

(Redação - InvestNews)