Crédito a empresas cresce 3,3%; PF fica inalterada

SÃO PAULO, 23 de dezembro de 2008 - O crédito referencial para taxa de juros alcançou R$ 666 bilhões em novembro, registrando expansões de 1,9% no mês e de 30,4% em doze meses. As operações destinadas a pessoas jurídicas somaram R$ 392,4 bilhões, com aumentos de 3,3% no mês e de 44,7% em doze meses. As carteiras com recursos domésticos atingiram R$ 299,7 bilhões, apresentando crescimento de 2,8% no mês. De acordo com o relatório do Banco Central (BC), esse resultado permanece determinado pelo comportamento da carteira de capital de giro, com acréscimo de 4% no mês e saldo de R$ 164,4 bilhões. "A expansão desses empréstimos nos últimos meses esteve associada à migração de operações anteriormente amparadas em modalidades com recursos externos, bem como à necessidade adicional de recursos para financiar a expansão da produção e das vendas em final de ano".

Os financiamentos referenciados em moeda estrangeira continuam apresentando evolução condicionada pelo efeito contábil da depreciação cambial. Seu volume alcançou R$ 92,7 bilhões, com alta de 5,1% no mês, determinada pela expansão de 9,8% nos adiantamentos de contratos de câmbio (ACCs).

Já o estoque das modalidades de crédito referencial para pessoas físicas permaneceu no mesmo patamar do mês anterior, totalizando R$ 273,6 bilhões em novembro. Segundo nota do BC, esse resultado evidencia a tendência de desaceleração dessas operações, particularmente influenciada pelo desempenho dos financiamentos para aquisição de veículos, que registraram decréscimo mensal de 1,6% e incremento de 1,8% em doze meses, bem como pela relativa acomodação nas operações de crédito pessoal, que apresentaram acréscimos de 0,5% no mês e de 25,8% em 12 meses.

(VC - InvestNews)