China quer expandir exportações para mercados emergentes em 2009

REUTERS

REUTERS - A China vai trabalhar duro para vender mais produtos aos mercados emergentes em 2009, com a intenção de manter o crescimento das exportações estável, já que a crise financeira afetou gravemente a economia dos países ricos, disse Chen Deming, ministro do Comércio do país, nesta terça-feira.

Deming disse que o sul da Ásia, Oriente Médio, Ásia Central, América do Sul e o Leste Europeu estavam entre os principais alvos, segundo a agência oficial de notícias Xinhua.

As exportações chinesas apanharam os mercados de surpresa quando despencaram pela primeira vez em mais de sete anos no mês de novembro, à medida que as ordens de compra de seus principais parceiros comerciais caíram.

Chen afirmou ainda que Pequim irá encorajar as exportações de grandes maquinários, ferramentas, produtos agrícolas e produtos que utilizam mão-de-obra intensiva.

O foco nas exportações com mão-de-obra intensiva marcam uma mudança em relação ao começo deste ano, antes da desaceleração econômica, quando a China estava determinada a colocar suas companhias acima do valor da cadeia.

O ministro fez os comentários na reunião comercial anual para o esboço de uma estrutura das políticas comerciais no próximo ano, de acordo com informações da Xinhua.

Ele acrescentou que o país tentará importar mais tecnologia avançada em 2009, por meio da redução dos impostos sobre as compras estrangeiras e de subsídios para importadores.

Chen também disse que a China aumentará as reservas de carne suína e açúcar em 2009 e montará novos estoques para grãos e óleos comestíveis.

O país construirá cinco depósitos frigoríficos para estocar carne suína no ano que vem, revelou o ministro.

Ele completou que a China estabelecerá um fundo especial para a produção, transporte e importação de "bens de emergenciais", contou Chen.