PIB da Coréia do Sul se desacelera rapidamente, diz BoK

SÃO PAULO, 11 de dezembro de 2008 - O Banco da Coréia do Sul (BoK, central) previu hoje que o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) sul-coreano diminuirá fortemente por um considerável período, afetado pela queda da demanda doméstica e pela piora nas condições financeiras dentro e fora do país.

Além do recuo na demanda interna, as exportações também devem ser atingidas, mostrando desaceleração mais rápida que a prevista, disse a autoridade monetária sul-coreana. O BoK revelou ainda que a produção na indústria manufatureira e de serviços deverá ser prejudicada.

Apesar da queda nos preços ao consumidor na Coréia do Sul desde julho, a inflação básica (que exclui os preços de alimentos e energia) deverá manter sua tendência de alta, segundo relatório do BoK. A autoridade monetária também assegurou que reduzirá as pressões inflacionárias através do recuo nos preços de matérias-primas e da queda na demanda doméstica.

O banco central sul-coreano estima que a balança de conta corrente continuará a registrar superávit, na medida em que haverá resultado positivo na balança de bens e uma melhora na balança de serviços.

Nesta quinta-feira, o BoK reduziu a taxa básica de juros para estimular a economia. O corte, que foi de 1,00 ponto percentual, para o recorde de 3% ao ano, faz parte da maior série de reduções no juro realizada pela autoridade monetária do país asiático desde 1999.

No dia 7 de novembro, o BoK anunciou um corte de 0,25 ponto percentual na taxa básica de juros, para 4% ao ano, que representou o nível mais baixo desde fevereiro de 2006.

Anteriormente, no dia 27 de outubro, a autoridade havia divulgado uma redução de 0,75 ponto percentual, a maior já realizada no país asiático, para 4,25% ao ano, e que seguiu um corte de 0,25 ponto percentual nos juros realizado no dia 9 de outubro, para 5% ao ano.

(Redação - InvestNews)