Aprovação de pacote é positiva para empresas

SÃO PAULO, 11 de dezembro de 2008 - A aprovação do plano de ajuda às montadoras norte-americanas, no valor de US$ 15 bilhões, é positiva para o setor e poderá ser suficiente para que a Ford, General Motors (GM) e Chrysler não quebrem. É que acredita Nelson Carneiro, economista-sênior da Austin Rating.

Ontem os deputados da Câmara de Representantes dos Estados Unidos aprovaram o pacote de ajuda para as montadoras supra-citadas. O texto foi aprovado por 237 votos contra 170.

No mês passado, as empresas apresentaram um plano de resgate que somava US$ 34 bilhões. Na opinião de Nelson Carneiro, a ajuda pode ser suficiente para que as empresas evitem a falência. "Porém, o Congresso dos Estados Unidos vai cobrar que elas [empresas] alterem medidas de administração. Com isso, vão ter que fazer a lição de casa, ou seja, cortar custos, realizar cortes no quadro de funcionários", avalia.

O economista analisa que os problemas no exterior são diferentes do Brasil. "A questão nos Estados Unidos é a falta de dinheiro, ao passo que aqui o dinheiro existe, mas há a dificuldade dos bancos liberarem estes recursos para financiamentos", compara.

De acordo com Nelson Carneiro, o máximo que o governo vai fazer é evitar que as montadoras decretem falência. O fato é que elas vão continuar passando por processo desaceleração, porque com a crise, a primeira coisa que os consumidores cortam são itens supérfluos, como o carro, por exemplo.

Como a situação econômica mundial está cada vez mais complicada, o economista da Austin Rating acredita que as empresas menores do setor automotivo vão se destacar em momentos como este. "Porque as companhias menores vão pegar a fatia de mercado que as grandes estão perdendo", finaliza.

(Déborah Costa - InvestNews)