Grupo Bignardi eleva capacidade de produção

SÃO PAULO, 10 de dezembro de 2008 - Com o investimento de R$ 78 milhões, o Grupo Bignardi visa o aumento da eficiência de produção e ampliação da capacidade de fabricação de cadernos em 30 mil toneladas anuais, de papéis offset em até 72 mil toneladas e de papel autocopiativo em 12 mil toneladas por ano. Os novos equipamentos, que garantirão esse desempenho, foram instalados nas fábricas de Caieiras e Jundiaí. Além disso, todas estas evoluções vêm acompanhadas do certificado ISO 9001.

Na unidade de Caieiras, fabricante de cadernos, agendas e utilidades, foram adquiridas duas novas máquinas alemãs, responsáveis pelo aumento de 25% da produção de cadernos. A Kolbus - Casamaker DA 270 e a Bielomatik P35-49, juntas, produzirão até 25 toneladas desse material por dia.

Ivan Bignardi, diretor de marketing e exportação do Grupo Bignardi, ressalta que os cadernos fabricados pelo grupo têm diferencial. "Todos os nossos produtos possuem os selos do Instituto Nacional de Metrologia (Inmetro) e da Fundação da Associação Brasileira dos Fabricantes de Brinquedos (Abrinq)", afirma.

Na unidade de Jundiaí, fabricante de papel reciclado, a produção aumentará para até 72 mil toneladas anuais, o que significa um crescimento de 100% no faturamento anual da empresa. Para complementação à conversão desse papel para cut size, foi adquirido um novo equipamento Bielomatik. Nessa unidade também são produzidos papéis apergaminhado, autocopiativo, auto-adesivos, vergê, cartolinas e envelopes.

"Trabalhamos com papel reciclado há mais de 18 anos. Desenvolvemos uma maneira única de produzi-lo sem agredir a natureza, e ainda contribuímos de forma concreta para a inclusão social de milhares de pessoas, até então, excluídas de qualquer atividade econômica", disse Bignardi.

Desse modo, o grupo está convencidos de que será referência em papel reciclado. "Para isso, trabalhamos e investimos com o objetivo de disputar o mercado em condições iguais aos das empresas concorrentes", finaliza o diretor.

Em 2008, na divisão de cadernos, agendas e utilidades, o crescimento das vendas foi de 20%. Já no segmento de papéis reciclados, a comercialização desses produtos registrou um avanço de 70%. Segundo o executivo, esses valores serão ultrapassados na abertura do ano escolar de 2009.

(Micheli Rueda - InvestNews)