Dólar segue instável; investidores se atentam a leilões

SÃO PAULO, 10 de dezembro de 2008 - A esperança de que o Congresso norte-americano aprove o pacote de US$ 15 bilhões para socorrer as montadores de Detroit (General Motors, Ford e Chrysler) traz alívio aos principais mercados nesta manhã. Mas no mercado de câmbio, o dólar segue instável, atento aos leilões do Banco Central (BC). No fim da primeira etapa, a moeda norte-americana recuou 0,16%, para R$ 2,468 na compra e R$ 2,470 na venda.

Miriam Tavares, diretora de câmbio da AGK corretora acredita que a aprovação de resgate deve evitar uma deterioração ainda maior das expectativas com relação ao cenário para a economia global e trazer alguma melhora para os negócios. "Mas o pacote que se desenha é bastante limitado e se aprovado nestas condições, não deve consolidar uma trajetória positiva para os preços dos ativos. Vai representar apenas um alívio paliativo e de efeito temporário, com eficácia duvidosa", avalia, ressaltando que uma melhora mais sólida e duradoura só deve acontecer se e quando o governo do presidente eleito dos EUA, Barak Obama, começar a implantar o seu plano de reativação da economia norte-americana.

No Brasil, o BC decide à noite a Selic. Embora algumas apostas apontam que a taxa possa cair 0,25 ponto percentual, a maioria absoluta crê em manutenção nos atuais 13,75% ao ano. Ainda por aqui, a autoridade monetária acabou de informar que a entrada de dólares no Brasil superou as saídas na primeira semana de dezembro - cinco dias úteis. O saldo do fluxo cambial está positivo em US$ 7 milhões.

(Simone e Silva Bernardino - InvestNews)