Negociação comercial entre EUA e Uruguai só será retomada em 2009

Agência ANSA

MONTEVIDÉU - Representantes dos governos de Uruguai e Estados Unidos retomarão somente no ano que vem as negociações sobre o Acordo Marco de Comércio e Investimentos (Tifa, na sigla em inglês), após a posse do presidente eleito americano, Barack Obama, em 20 de janeiro.

Segundo informações do Ministério das Relações Exteriores do Uruguai, uma reunião que estava marcada para hoje com representantes da Casa Branca foi cancelada repentinamente, sem que os motivos fossem explicados.

O encontro serviria para discutir e assinar um acordo sobre comércio eletrônico negociado desde meados do ano.

A decisão gerou dúvidas entre setores do governo Montevidéu porque há o temor de que a presença dos democratas na Casa Branca signifique uma reviravolta na política comercial norte-americana.

Há a expectativa de que Obama dê prioridade às negociações com o Mercosul, bloco em que o Uruguai exerce um peso menor se comparado a seus dois principais sócios: Brasil e Argentina.

Fontes do Departamento de Comércio dos Estados Unidos asseguraram, porém, que as discussões sobre o Tifa não mudarão com a chegada de Obama a Washington, posto que se trata de "um acordo firmado por Estados, e não administrações".

O Tifa, assinado por Estados Unidos e Uruguai em 25 de janeiro de 2007, é um acordo preparatório para um futuro Tratado de Livre Comércio (TLC). O pacto inclui condições especiais de tarifas e impostos para o fluxo de transações e investimentos entre os dois países.

Além disso, estabelece a criação de um Conselho de Comércio e Investimentos, órgão responsável por expandir e incentivar o comércio bilateral de produtos e serviços.