Brasil pula da 9ª para 7ª posição mundial

SÃO PAULO, 9 de dezembro de 2008 - Mesmo diante da crise financeira mundial e com perda de recursos, a indústria de fundos brasileira subiu da 9ª para a 7 ª posição no ranking mundial, segundo o Company Institute (ICI), ficando atrás apenas dos Estados Unidos, Luxemburgo, França, Austrália, Irlanda e Reino Unido. Os dados foram apresentados hoje pela Associação Nacional dos Bancos de Investimento (Anbid).

"O Brasil perdeu menos que os demais países em função, em primeiro lugar, da menor intensidade da crise e, em segundo, por se tratar de uma indústria mais autoregulamentada", acredita Alexandre Zákia, vice-presidente da Anbid.

No final do primeiro semestre deste ano, a indústria de fundos global apresentou redução de 5,77% em dólares no volume total de recursos, considerando as aplicações, resgates e rentabilidade de ativos. O levantamento considera os 44 mercados de fundos do mundo.

Os Estados Unidos lidera o ranking com US$ 11, 6 trilhões, seguido por Luxemburgo, com US$ 2,6 trilhões e pela França, com US$ 1,9 trilhão. O Brasil, com US$ 738,4 bilhões (em reais o montante supera R$ 1,1 trilhão) está à frente do Japão (US$ 687,7 bilhões), Canadá (US$ 685, 3 bilhões) e Itália (US$ 364, 3 bilhões). Os números são do primeiro semestre deste ano.

(PD - InvestNews)