Empresários paulistas estão menos otimistas

SÃO PAULO, 3 de dezembro de 2008 - Os empresários da construção civil paulista estão mais pessimistas com relação a conjuntura econômica e a condução da política, de acordo com sondagem divulgada hoje pelo Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo (Sinduscon-SP). Em novembro, a perspectiva de desempenho positivo atingiu 51,3 pontos, uma queda de 14,4% em relação a agosto, quando foi realizada a pesquisa anterior. Apesar disso, o item continua em bom nível, já que qualquer índice acima de 50 pontos é considerado cenário otimista.

No entanto, a previsão de crescimento econômico e condução da política econômica caíram 45,4% e 13,1%, para 30,3 pontos e 41,3 pontos, respectivamente. Na comparação com novembro de 2007, os itens apresentam queda de 51,1% e 24,6% - na mesma ordem.

Já o item dificuldade financeira, aumentou 20,3% entre agosto e novembro e 41,9% em relação ao mesmo mês do ano passado, chegando a 62,9 pontos. Ao contrário dos outros indicadores, a maior pontuação nesse item revela uma perspectiva ruim com relação a investimentos e obtenção de crédito.

Segundo o diretor de Economia do Sinduscon-Sp, Eduardo Zaidan, a sondagem reflete o pessimismo dos empresário em meio ao noticiário ruim no fim de setembro e começo de outubro. "A pesquisa foi realizada em meio ao caos do agravamento da crise. Tudo estava muito incerto. Naqueles dias era todo dia notícia de banco quebrando. Não se sabia até onde iriam os reflexos da crise norte-americana", disse, apostando que as projeções já podem ter melhorado um pouco.

(Vanessa Stecanella - InvestNews)