Falta de crédito deve encolher safra de soja do Brasil

Reese Ewing, REUTERS

SÃO PAULO - A dificuldade de acesso ao crédito por parte do produtor fez com que a Céleres reduzisse a 59,4 milhões de toneladas a sua estimativa para a safra de soja 2008/09 do Brasil, contra uma previsão feita há um mês de 61,7 milhões de toneladas, informou a consultoria nesta segunda-feira.

A previsão, se confirmada, representará uma redução de 0,5% em relação ao volume produzido em 2007/08.

Segundo disse a Céleres em um comunicado, a dificuldade em assegurar crédito para a safra foi fundamental para determinar a área pretendida para o plantio da safra 2008/09.

A crise financeira mundial restringiu linhas de crédito que produtores, exportadores e tradings usam para financiar o plantio, a colheita e a comercialização da safra. Os produtores também carregam pesadas dívidas de safras anteriores.

Plantio mais lento

A Céleres estimou também que o plantio da safra de soja brasileira 2008/09 (outubro/setembro) atingiu 79% da área esperada até 28 de novembro, abaixo dos 83% normalmente plantados até este período do ano.

A Céleres disse que o atraso no plantio deve-se às condições mais secas do que o normal nas principais áreas de plantio de soja no Centro-Oeste e Sul.

O instituto climático Somar afirmou em sua previsão do tempo nesta segunda-feira que chuvas já começavam a melhorar os níveis de umidade nos estados de Mato Grosso e Goiás. Mais chuvas eram previstas para a região até quarta-feira. As taxas de plantio devem começar a melhorar nas próximas semanas.

As chuvas devem atingir o Rio Grande do Sul nos próximos seis a dez dias, mas estas ainda parecem isoladas e não generalizadas como os produtores preferem. Algumas semanas de seca são típicas em novembro ou dezembro nas regiões de plantio de soja no Brasil.