Anvisa proíbe uso isolado de pastilhas de esterilização

SÃO PAULO, 2 de dezembro de 2008 - A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) proibiu o uso isolado de pastilhas de esterilização que contenham formaldeído ou paraformaldeído. Com a publicação da RDC 91/08, as pastilhas só poderão ser usadas quando associadas a autoclaves (aparelhos que realizam esterilização através do calor úmido, sob pressão) específicas para esta finalidade.

Segundo a Anvisa, um dos principais objetivos da medida é assegurar a eficácia dos processos de esterilização dos artigos médico-hospitalares.

A gerente geral de Saneantes da Anvisa, Tânia Pich, explica que a eficácia só é verificada quando as pastilhas são usadas nos equipamentos. "Dissolvidas fora da autoclave, elas não garantem um resultado eficaz".

O uso exclusivo nos equipamentos também garante mais segurança aos profissionais de saúde que realizam os procedimentos em hospitais e clínicas: não é necessário o contato manual com as pastilhas. O uso inadequado de produtos à base de formaldeído e paraformaldeído acarreta riscos associados a efeitos tóxicos e carcinogênicos (que podem causar câncer).

Segundo a resolução, as pastilhas só devem ser usadas em equipamentos devidamente registrados na Anvisa e comercializadas em embalagens que impeçam a exposição humana.

(Redação - InvestNews)