Aeroportuários ameaçam entrar em greve durante o Natal

SÃO PAULO, 2 de dezembro de 2008 - Em estado de greve desde ontem (1), trabalhadores aeroportuários e aeroviários de todo o país prometem paralisar suas atividades o Natal se as empresas aéreas não concederem o reajuste salarial de 10%.

Inicialmente, as categorias pediam 13% de reajuste. O sindicato patronal, no entanto, ofereceu 5% a partir de dezembro e mais 1,66% em julho de 2009. 'Apresentamos uma contraproposta baixando para 10% para demonstrar que não somos radicais', afirmou à Agência Brasil a secretária geral do Sindicato Nacional dos Aeroviários, Selma Balbino.

De acordo com a sindicalista, 10% foi o percentual mínimo que a categoria autorizou aos representantes sindicais negociarem com as companhias. 'Esse índice representa a reposição das perdas salariais com a inflação do último ano, mais um aumento real. Os 5% [oferecidos pelas empresas] não contemplam as necessidades dos trabalhadores', afirmou.

Selma Balbino disse que as duas categorias não receberam aumentos reais durantes as últimas negociações. Com isso, diz ela, os valores dos pisos salariais ficaram muito aquém da importância do trabalho desses profissionais para o setor. Como exemplo, a sindicalista citou os agentes de proteção e os mecânicos de manutenção de aeronaves. Responsáveis por cuidar da segurança dos vôos, os primeiros têm um piso de menos de R$ 800,00. Já o piso dos mecânicos é de R$ 1.107,00.

A proposta de greve só será votada depois do dia 9 deste mês, quando ocorrerá a próxima reunião entre os representantes do sindicatos dos trabalhadores e do Sindicato Nacional das Empresas Aéreas. 'Se as negociações não avançarem, no sentido da nossa proposta, iremos paralisar nossas atividades no dia 24 para 25 de dezembro', disse Selma Balbino.

Desde ontem, os sindicatos de ambas as categorias estão distribuindo um documento para usuários de aeroportos de todo o país para alertá-los sobre a possibilidade de greve. 'Queremos que eles estejam cientes e possam se planejar para o caso de paralisarmos nossas atividades', diz Selma.

Amanhã (3), lideranças sindicais promoverão uma manifestação no Aeroporto Internacional de Brasília - Presidente Juscelino Kubitschek, em Brasília. O ato, segundo Selma, será o primeiro de uma série que deverá ocorrer até o dia 9, nos equipamentos mais importantes do país.

Além de reclamarem contra o que classificam como baixos salários, os manifestantes também irão protestar contra a intenção do governo de privatizar aeroportos hoje administrados pela Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária (Infraero).

(Redação - InvestNews)