Mau humor externo e Petrobras derrubam índice

SÃO PAULO, 12 de novembro de 2008 - Desde a abertura dos negócios, o índice acionário da BM&FBovespa opera em queda, movimento ampliado com a abertura das bolsas de Wall Street. O mau humor externo, aliado a forte desvalorização dos papéis da Petrobras, levam a bolsa brasileira a registrar forte recuo de 6,37%, aos 34.888 pontos. O giro financeiro estaca em R$ 2,15 bilhões.

Ontem, a estatal petrolífera brasileira Petrobras reportou lucro líquido de R$ 10,852 bilhões no terceiro trimestre deste ano, alta de 96% em relação ao mesmo período do ano passado. No acumulado do ano, o lucro foi de R$ 26,56 bilhões, crescimento de 61% em relação aos mesmos meses de 2007.

Porém, a companhia reviu para baixo a meta de produção média de petróleo a ser atingida no próximo ano. Inicialmente, a estimativa da estatal era de que a produção média diária em 2009 ficasse em torno dos 2 milhões de barris de petróleo, expectativa esta que já havia sido reduzida anteriormente para 1,95 milhão de barris. As ações preferenciais da Petrobras recuam mais de 9%.

Outras empresas também anunciaram revisão de metas de produção, o que demonstra que a crise financeira já está afetando a economia real. A ArcelorMittal anunciou que irá interromper sua produção de aço na Romênia, por aproximadamente dois meses.

Sem indicadores programados para hoje, outras notícias corporativas contribuem para o mau humor externo. A seguradora holandesa ING reportou prejuízo de US$ 598,8 milhões no terceiro trimestre ante lucro de US$ 2,88 bilhões obtidos em igual período de 2007.

Já a maior varejista de eletrônicos Best Buy informou hoje que o declínio nos gastos do consumidor provocou uma receita abaixo das expectativas no segmento de produtos eletrônicos (de 7,6% no mês de outubro). Influenciada pelas condições de volatilidade no cenário econômico e o significado da temporada de compras nos ganhos anuais da empresa, a Best Buy reduziu seu guidance de lucro por ação para o ano fiscal de 2009.

Os sinais de que as principais economias do mundo entrarão em recessão mantém o clima de cautela. O Banco da Inglaterra informou em seu relatório trimestral de inflação que a economia britânica entrou em recessão no segundo trimestre deste ano e se contraiu 0,50% entre julho e setembro. Ainda segundo o documento, a economia continuará em contração no primeiro semestre de 2009 e deverá começar a se recuperar no segundo semestre do próximo ano.

(Vanessa Correia - InvestNews)