Ibama deve conceder licença de Jirau nesta 4ª, diz Lobão

Portal Terra

BRASÍLIA - O ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, afirmou, nesta terça-feira, que o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) deve conceder na quarta-feira a licença prévia, com o parecer sobre impactos ambientais, das obras da hidrelétrica de Jirau, no rio Madeira (RR).

- É possível que amanhã o Ibama emita sua licença provisória- comentou o ministro ao participar de reunião sobre a nova matriz energética brasileira, promovida pelo Tribunal de Contas da União (TCU).

Ele evitou confirmar, no entanto, se já estariam resolvidos os problemas provocados pela decisão de se mudar em cerca de 9 km o local de construção da usina hidrelétrica. O deslocamento do eixo da obra, na comparação com o projeto original, demandaria um novo estudo de impacto ambiental para que a hidrelétrica pudesse sair do papel.

- Quanto ao local eu não poderia dizer, porque fica a cargo da Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica), que já se manifestou, e do Ibama- disse.

A mudança no local da obra abriu espaço para que consórcio vencedor (composto por Suez, Camargo Corrêa e Chesf) pudesse reduzir em aproximadamente R$ 1 bilhão o custo do projeto, diminuindo também o preço pela oferta do megawatt/hora (MWh) no leilão. No caso da outra usina do complexo do rio Madeira, a de Santo Antonio, o objetivo do governo é executar 5% das obras até 31 de dezembro deste ano.

Na avaliação do ministro, as futuras obras na hidrelétrica de Jirau não serão atrasadas pelos debates entre os consórcios porque, quando iniciadas, ocorrerão três turnos por dia, ininterruptamente.

- Os prazos vão se encurtando a cada dia, mas há um compromisso do consórcio vencedor de trabalhar 24 horas por dia, em três turnos diários, para exatamente aproveitar a janela hidrológica- declarou Lobão.