Dólar segue pessimismo dos mercados e opera em alta

REUTERS

SÃO PAULO - Mais uma vez atrelado ao contexto externo, o dólar subia nesta terça-feira, em meio à retomada das preocupações com a saúde da economia global. Às 10h43 (horário de Brasília), a divisa americana era cotada a R$ 2,203, em alta de 0,5%, após ter chegado a subir cerca de 1% nos primeiros negócios.

- O mercado está oscilando ao sabor das notícas lá de fora- afirmou Mario Paiva, analista de câmbio da corretora Liquidez, citando a melhora do humor dos mercados na manhã da véspera com o pacote de estímulo financeiro da China, seguida pela volta do foco à ameaça da recessão econômica mundial nesta terça-feira.

O principal índice de ações européias caía cerca de 3%, fortalecendo a tendência pessimista da sessão já apresentada pelas bolsas de valores asiáticas. Os índices futuros de Wall Street também apontavam para uma abertura em território negativo.

- O resgate da confiança não se propaga de uma forma tão rápida assim quanto o humor do mercado- avaliou Paiva em referência à volatilidade dos mercados nos últimos dias.

- A poeira ainda não baixou- acrescentou.

O analista também citou o posicionamento dos investidores estrangeiros no mercado de dólar futuro, que permanece comprado em cerca de US$ 12 bilhões nos últimos dias, segundo dados da BM&F. Na prática, essa exposição significa uma aposta na alta do dólar.

Nesta terça-feira, o Banco Central (BC) realiza mais um leilão de swap cambial tradicional, ofertando cerca de US$ 500 milhões. As propostas serão acolhidas entre 12h45 e 13h e o resultado será divulgado a partir das 13h15.