Cautela volta aos mercados e dólar vai a R$ 2,20

SÃO PAULO, 11 de novembro de 2008 - Passada a euforia com o megapacote de quase US$ 600 bilhões da China para estimular a economia, os investidores voltaram-se para a rotina da crise. A avaliação é de que os recursos ajudarão a conter os reflexos da crise, mas não serão suficientes para tirar os mercados da rota de recessão.

As principais bolsas de valores amargam perdas, enquanto as commodities recuam e o dólar sobe. Por aqui, no fim da manhã, a moeda norte-americana avançava 1,24%, para R$ 2,205 na compra e R$ 2,210 na venda.

Para o economista-chefe do Banco Fator, José Francisco de Lima Gonçalves, mesmo com pacote fiscal na China, as perspectivas são de desaquecimento da economia global com recessão nas principais economias avançadas. E, a cada dia, as notícias comprovam que os problemas financeiros já cruzaram as fronteiras e atingiram o lado real da economia e o lucro das empresas. Na véspera, a segunda maior varejista de produtos eletrônicos dos EUA, a Circuit City, pediu concordata e a General Motors teve o preço-alvo de suas ações rebaixadas para zero.

Como é feriado nos EUA em comemoração ao Dia do Veterano, a liquidez deve ficar restrita.

(Simone e Silva Bernardino - InvestNews)