Brasil e México querem ampliar comércio bilateral

SÃO PAULO, 11 de novembro de 2008 - Brasil e México querem ampliar a lista de 800 produtos com preferências tarifárias do Acordo de Complementação Econômica nº 53, que regula o comércio bilateral. Com esse objetivo, o secretário-executivo do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Ivan Ramalho, terá encontro, amanhã (12), na Cidade do México, com representantes do governo mexicano e da iniciativa privada.

Será a 4ª Reunião da Comissão de Monitoramento do Comércio Brasil-México, com vistas a aumentar o fluxo de comércio nos dois sentidos, que atingiu US$ 6,218 bilhões de janeiro a outubro deste ano. De acordo com números do MDIC, a balança comercial entre os dois cresceu 21,7% em relação ao mesmo período do ano passado, com superávit (saldo entre exportações e importações) de US$ 991 milhões para o Brasil.

Verifica-se, no entanto, que o saldo em prol dos exportadores brasileiros caiu quase metade na comparação com os US$ 1,846 bilhão registrados de janeiro a outubro de 2007. Enquanto as vendas nacionais para aquele país, no valor de US$ 6,218 bilhões, cresceram só 3,7% no período, as importações de produtos mexicanos evoluíram 60,2%.

As informações foram divulgadas pela assessoria de imprensa do MDIC e acrescentam que o México respondeu por 2,1% das exportações brasileiras, nos dez meses deste ano, contra participação de 2,6% em igual período de 2007.

As informações são da Agência Brasil.

(Redação - InvestNews)