Crise pode afetar exportação de cadernos

SÃO PAULO, 10 de novembro de 2008 - A crise internacional deve limitar a capacidade de expansão dos produtos exportados pela indústria gráfica brasileira, especialmente cadernos e embalagens, afirmou Fabio Mortara, presidente da Abigraf São Paulo (Associação Brasileira da Indústria Gráfica).

De acordo com Mortara, a depreciação do real, por outro lado, pode contribuir para a redução do déficit da balança comercial do setor, estimulando as exportações e reduzindo as importações.

"Os Estados Unidos consomem 70% das exportações brasileiras de cadernos, e a crise vai afetar fortemente este produto", explica Mortara. Em setembro, o saldo positivo da balança do segmento de cadernos ficou em US$ 252 mil, em relação ao mesmo período do ano anterior, quando o saldo somou US$ 1 milhão.

Quanto as embalagens, as exportações para países desenvolvidos devem diminuir. "Porém, a produção não deverá ser afetada, pois será absorvida pelo mercado interno", afirma o executvo. A balança comercial do segmento foi de US$ 1,4 milhão em setembro, em comparação a igual período de 2007, quando foi registrado um saldo de US$ 921 mil.

(MR - InvestNews)