Spams aumentam devido à crise internacional

SÃO PAULO, 31 de outubro de 2008 - A crise financeira mundial está repercutindo num representativo aumento da produção de spam, desde o início de setembro, após o colapso dos bancos Lehman Brothers Bank, Merrill Lynch e AIG, segundo informam os pesquisadores da BitDefender. À medida em que o mercado de ações despenca, os spammers aproveitam para tentar atrair seus destinatários através de promessas de serviços que requisitam eliminação ou redução de débitos, hipotecas e outras obrigações fiscais ou de crédito.

Exemplo disto foi uma grande onda de spam, dirigida a residentes dos EUA, que oferecia serviços de uma companhia que supostamente ajudaria devedores a eliminar o arresto de suas casas. A mensagem trazia falso embasamento sobre o plano de salvação anunciado pelo Presidente Bush.

Baseadas em templates criados no início da recessão, as novas campanhas de spam trazendo propaganda financeira ganharam um significativo vulto ao longo do mês de outubro. Normalmente limitados a uma mensagem de corpo único ou a uma linha de assunto apelativa, as mensagens conduzem o usuário através de diversos links Web a vários Web sites, a maioria deles envolvida em esquemas de phishing.

Outras ondas de spam passaram a usar a crise econômica como uma simples isca para a venda de drogas, softwares piratas ou réplicas. Finalmente, uma das mais recentes iniciativas de spam tenta se valer de uma múltipla combinação de e-mails viciados que são gerados e distribuídos automaticamente, além de falsos perfis em redes sociais, que levam o destinatário alvo para sites onde eles podem "deixar as dividas para trás".

"Os spammers vêm usando o atual estado de crise e se aproveitando das preocupações dos usuários para tirar vantagem deles através do direcionamento de campanhas de spam voltadas para pessoas que não apenas estão buscando informações sobre a recessão, mas também para aqueles que procuram formas de melhorar o seu status financeiro no cenário de crise", afirma Vlad Valceanu, Chefe de Pesquisa Amtispam da BitDefender. "É extremamente importante que os usuários de computadores sejam cautelosos com os e-mails que recebem, bem como em relação a anúncios que eles escolhem para clicar", completa o executivo.

(Redação - InvestNews)

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais