Mesmo com o anúncio de alta, GNV tem saldo positivo no Rio

JB Online

RIO - De acordo com dados divulgados pela Associação Brasileira das Empresas Distribuidoras de Gás Canalizado (Abegás), setembro sinaliza um retorno no crescimento das vendas de GNV no Estado do Rio de Janeiro. Com relação a agosto, foram vendidos 2.843.700 m3/dia, número 1% maior. As conversões para GNV também foram positivas: 4.236 novos veículos, um valor 7,5% acima. A frota atual do Rio é de 676.213 veículos, 5,62% superior ao fechamento de 2007, segundo a Abegás.

Segundo simulação elaborada por Francisco Barros Jr., diretor de Planejamento Estratégico do Grupo Forza e conselheiro de Energia da Firjan e da ACRJ, considerando um preço máximo do GNV nas bombas no valor de R$ 1,75 / m3 - apenas para efeito de comparação -, verifica-se para um usuário com utilização média de 100 Km por dia uma economia anual de 47% nos gastos com combustível. Isso representa R$ 4.248 de economia se usar gás em vez de gasolina, e 44% ou R$ 3.756 menos se abastecer com gás no lugar de álcool.

- Desde que foi lançado no Brasil em 1991, o combustível é mais econômico que a gasolina e o álcool. E mesmo com o anúncio do aumento do GNV previsto para início de novembro, divulgado nesta semana, esta vantagem permanece. É estimado pelo mercado que este aumento nas bombas deva ficar em torno de 3% a 4%, sobre um preço médio hoje de R$ 1,633/m3 - explica Barros acrescentando que com a vantagem da redução de 75% no valor do IPVA para os veículos a gás estas vantagens ficam ainda maiores.

- Considerando um preço médio de R$ 3 mil para a instalação de um kit de gás, os novos usuários de gás podem pagar esta conversão com a própria economia do combustível, em oito meses se o veículo for a gasolina ou nove meses se o veículo for a álcool - ressalta.