BC anuncia leilão de dólar para financiar comércio exterior

Jornal do Brasil

BRASÍLIA - O Banco Central começa, na próxima semana, a conceder a bancos empréstimos em moeda estrangeira especificamente voltados ao financiamento dos exportadores. Todos os bancos que possuem autorização para operar no mercado de câmbio brasileiro poderão ter acesso aos empréstimos, segundo explicou nesta sexta-feira o presidente do Banco Central, Henrique Meirelles. O ministro da Fazenda, Guido Mantega, admitiu nesta sexta-feira que o setor de exportação é o mais afetado pela crise financeira mundial.

O primeiro leilão deste tipo será feito na segunda-feira. O limite de recursos e o prazo da operação serão definidos a cada leilão, e o custo do empréstimo será a variação da taxa Libor mais um adicional estabelecido no ato da operação. De acordo com Meirelles, os bancos interessados em tomar esses recursos darão como garantia ao governo títulos públicos brasileiros ou de países, chamados títulos soberanos, com qualificação mínima A (baixíssimo grau de risco de calote).

Os ativos a serem aceitos como garantia serão ampliados a partir do segundo leilão, sem data definida. Além dos papéis da dívida externa, serão aceitos operações de Adiantamento sobre Contratos de Câmbio (ACC), Adiantamento sobre Cambiais Entregues (ACE) e títulos soberanos de outros países, desde que tenham um rating mínimo 'A'.

É uma medida positiva e possível porque o Brasil dispõe de reservas internacionais volumosas, recursos suficientes para endereçar um problema que é criado no exterior e que reflete no mundo todo, inclusive no Brasil afirmou Meirelles.

Os empréstimos fazem parte de uma série de medidas adotadas pelo BC nas últimas semanas para tentar dar fôlego ao mercado de crédito brasileiro, que sofreu impacto direto do congelamento das operações nos mercados externos.

De posse dos dólares, as instituições serão obrigadas a usá-los apenas em financiamentos de atividades exportadoras, como o ACC. Apesar de o BC ter tomado a medida para gerar liquidez em financiamentos em dólar, Meirelles relatou que a falta de dinheiro em circulação no setor já está menos grave:

Já está voltando ao normal, especialmente nos bancos oficiais disse. Segundo ele, o Banco do Brasil informou que, até o final do mês, o fluxo já estará normalizado. Sobre a normalização de outras linhas de financiamento, o presidente do BC garantiu que a liberação dos recursos dos empréstimos compulsórios já causa algum efeito.

Temos notado uma diminuição sensível na pressão sobre os bancos menores.

Para garantir que os recursos sejam efetivamente colocados à disposição das exportadoras, o BC fiscalizará os bancos por meio de acompanhamento do volume de operações de ACC realizadas pelos bancos que tomarem os empréstimos.

O BC tem acesso a todas as linhas de financiamento externo do banco e ao volume de ACCs concedidos. E também tem acesso ao volume de empréstimos obtidos. Então, fica fácil saber se o volume de ACCs concedidos pelo banco é, no mínimo, igual ao valor do empréstimo obtido pelo banco acrescentou Meirelles.