Ásia cai; Balanços em Wall Street beneficiam Tóquio

SÃO PAULO, 17 de outubro de 2008 - As bolsas da Ásia fecharam em queda nesta sexta-feira, com os investidores novamente temorosos sobre os rumos da economia mundial e a possibilidade de recessão nos Estados Unidos e na Europa. Por outro lado, Tóquio e Xangai foram exceção, beneficiadas pelo desempenho positivo de Wall Street e pela divulgação de bons resultados corporativos no setor de tecnologia norte-americano.

Entre os principais índices da região, o Kospi de Seul recuou 2,72%, para 1.180,67 pontos. Já o indicador referencial Hang Seng de Hong Kong caiu 4,44%, para 14.554,21 pontos. Os investidores continuam preocupados com a possibilidade de uma recessão global, o que garantiu bastante volatilidade nos mercados ao longo da semana.

Em Tóquio, o pregão foi hoje beneficiado pela divulgação dos balanços do Google, International Business Machines (IBM) e Advanced Micro Devices (AMD), que superaram as expectativas dos analistas. Ontem, o Google anunciou um lucro líquido de US$ 1,346 bilhão (US$ 4,24 por ação) no terceiro trimestre de 2008, registrando um avanço de 26% em relação ao mesmo período de 2007.

A International Business Machines (IBM) reportou um lucro líquido de US$ 2,8 bilhões entre julho e setembro. Já a Advanced Micro Devices (AMD), fabricante de microprocessadores e concorrente da Intel, informou um prejuízo líquido de US$ 67 milhões no terceiro trimestre. Apesar disso, o resultado é superior ao previsto pelos economistas.

No Japão, as companhias de tecnologia registraram ganhos. Os papéis da Kyocera subiram 2,39%, enquanto os da Casio Computer avançaram 4,46%. Já os títulos da Canon e da Sony apresentaram ganho de 5,65% e 5,17%, respectivamente.

A valorização do dólar, que torna os produtos japoneses mais competitivos no mercado internacional, também incentivou a compra de ações de empresas exportadoras. No mercado de divisas de Tóquio, a moeda norte-americana encerrou o dia cotada a 101,38 ienes, contra 100,48 ienes da última sessão. Entre as empresas do setor automotivo, as ações da Toyota e Honda, por exemplo, avançaram 3,32% e 5,20%, respectivamente.

Em Cingapura, os mercados locais fecharam com queda de 3,73%, para 1.878,51 pontos, apesar da autoridade monetária do país garantir todos os depósitos bancários até o final de 2010, em uma medida para assegurar a confiança dos investidores no sistema financeiro.

No mercado de commodities, o barril de petróleo WTI, com vencimento em novembro, operava há pouco com alta de 1,56%, negociado a US$ 70,94 na Bolsa de Mercadorias de Nova York (NYMEX, sigla em inglês). Entre as companhias petrolíferas, os papéis da Inpex aumentaram 0,33%, enquanto os da Japan Petroleum Exploration subiram 2,57%.

A notícia de que um consórcio formado por siderúrgicas japonesas e sul-coreanas irá pagar US$ 4 bilhões por parte da brasileira Nacional Minérios S.A (Namisa), para garantir o suprimento de minério de ferro, também incentivou a alta nas ações do setor siderúrgico. Os papéis da japonesa JFE Holdings e da Nippon Steel cresceram 7,23% e 5,33%, respectivamente.

(Marcel Salim - InvestNews)

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais